PESQUISE NA WEB

domingo, 25 de setembro de 2011

Cão Lobo de Saarloos (Saarloos Wolfhound) - 02













Cão Lobo de Saarloos (Saarloos Wolfhound) - 01













O Sarloos Wolfhound é uma raça de cão com origem holandesa datada de 1921. É um híbrido de pastor alemão macho com o lobo asiático fêmea, esse cruzamento foi realizado pelo criador holandês, Leendert Saarloos, em uma tentativa de gerar um cão imune à cinomose.

É um cachorro de porte grande, com um corpo forte e musculoso. Seu focinho é alongado e suas orelhas pontudas ficam sempre eretas. O Saarloos Wolfhound pode chegar a medir 76 cm, pesando em média 45 kg. O pelo, curto e denso, é uma excelente proteção contra o frio. As cores aceitas para essa raça são o preto, o bege, o avermelhado (ou marrom), o branco, o prateado ou o azul-claro (ou cinza).

O Saarloos Wolfhound é muito inteligente e enérgico. É apropriado para criadores experientes em raças do grupo dos cães pastores. Herdando as características dos lobos, essa raça é bastante cautelosa e reservada, porém não apresenta tanta ferocidade.

Geralmente apresenta boa saúde, embora possa ter alguns problemas oculares de herança genética. Precisa de muito espaço para se exercitar.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%A3o_lobo_de_Saarloos

sábado, 24 de setembro de 2011

Cão Lobo Checoslovaco - 02





Cão Lobo Checoslovaco - 01








O Cão Lobo Checoslovaco é uma raça relativamente nova de cães que contém traços da sua linhagem original de uma experiência conduzida em 1955 na antiga Checoslováquia. Depois de inicialmente cruzar um Pastor Alemão com um lobo da região dos Cárpatos, o plano trabalhou em criar uma raça híbrida que combinava as qualidades desejadas de ambos animais. Ela foi oficialmente reconhecida como uma raça nacional na Checoslováquia em 1982, e em 1999 ficou sendo no FCI o padrão 332, grupo 1, seção 1, junto com o Border Collie e o Pastor Alemão, entre outros.

Tanto o corpo como o pêlo do Cão Lobo são semelhantes de os um lobo dos cárpatos. A altura mínima na cernelha é 65 cm para os machos e 60 cm para as fêmeas, preferencialmente não ultrapassando 65cm para fêmeas e 70cm para machos. A forma do corpo é retangular, a proporção da altura para o comprimento é de 9:10 para menos, com dimorfismo sexual acentuado. Olhos cor de âmbar oblíquos e orelhas curtas e eretas são feições características. O jogo de dentes é completo (42); muito fortes e bem desenvolvidos, especialmente os caninos; ambas formas de tesoura ou pinça são aceitáveis. A espinha é reta, forte no movimento, com um quadril curto. O tórax é simétrico, muito musculoso tendo forma de pêra, estreitando-se em direção ao esterno, sua profundidade não deve alcançar os cotovelos, ficando preferencialmente a uma distancia de 2cm dos mesmos. A barriga é forte e para dentro. As costas são curtas, levemente declinadas, o rabo é comprido; quando abaixado totalmente alcança os tarsos. Os membros dianteiros são retos e estreitos, com as patas levemente para fora, com um longo rádio e metacarpo. Os membros traseiros são musculares com uma longa panturrilha e peito do pé.

A cor do pêlo vai de amarelo-acinzentado à prata-acinzentado, com uma máscara mais clara. O pêlo é reto, volumoso e bastante grosso. O Cão Lobo é um típico troteador; seus movimentos são leves e harmoniosos, e seus passos são longos.

O Cão Lobo é uma raça com saúde acima da média em comparação com as outras raças, o que não significa que a raça seja isenta de problemas.

Os problemas que podemos encontrar o Cão Lobo são Displasia coxofemoral e alguns raros casos de Displasia dos cotovelos, por tal motivo todo e qualquer criador sério deve fazer os exames nos cães antes de usá-los na reprodução, comprovando assim que tais cães são saudáveis e aptos para serem padreadores e matrizes. Os exames de Displasia coxofemoral são obrigatórios na raça e o futuro proprietário deve ficar atento para apenas comprar seu filhote de pais quais tenham devidamente passado pelos exames oficiais, sendo aptos para a reprodução, o criador não pode se negar a mostrar os laudos dos cães ou uma cópia dos mesmos para o futuro proprietário.

O Cão Lobo muda a pelagem duas vezes ao ano entre verão e inverno, perdendo muitos pêlos e boa parte de seu sub-pêlo nessas épocas, é aconselhado aos proprietários que escovem os cães minimamente uma vez por dia na época de muda, ajudando assim o cão a se livrar dos pêlos mortos mais rapidamente, e diminuindo razoavelmente a grande quantia de pêlos soltos pela casa.

As fêmeas da raça tendem a ser pouco férteis, é comum fêmeas que nunca entram no cio e quando o tem ocorre geralmente 1 vez por ano, cio este que pode ou não ter ovulação dependendo de uma série de fatores, que vão desde o tratamento ao temperamento da fêmea em questão. A raça não necessita de maiores cuidados especiais.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%A3o_lobo_checoslovaco

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Cão Jindo Coreano - 01





Uma raça de tamanho médio membro da Família dos Spitz de cães que cruzaram a Ásia e o norte da Europa. O Jindo foi isolado na Ilha Coreana de mesmo nome onde foi usado como animal de guarda e caçador. Eles têm velocidade e agilidade para caçar pequenos animais sozinhos.

A raça apareceu no oeste primeiro na França e depois fez seu curso para os Estados Unidos.

Sua altura varia de 17 a 24 polegadas (do joelho), seu peso de 4,0 a 5,0 kg, sua cauda é curvada e encosta-se ao corpo e nunca é alterada, as orelhas são triangulares e eretas enclinadas para frente.

Personalidade: Excelente cão de vigia, tem um forte extinto territorial, é muito leal,um pouco menos agressivo que o Shiba Inu, tem uma natureza independente.

PêloDuro e alinhado com um fino sobrepêlo, em cores vermelho, marrom e branco;
Escovações regulares são requeridas.

É uma raça muito rara e o filhote é muito difícil de encontrar. Seus preço é muito alto.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Jindo_Coreano

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Cão Hokkaido - 01







O Cão Hokkaido é uma raça japonesa de porte médio, companhias dos imigrantes de Honshu para a cidade de Hokkaido durante a Era de Namakura nos idos de 114F0. Tornada raça em 1937, assumiu o nome do local e foi usada para caça a ursos e outros animais. Seu físico, robusto, bem modelado e de ossatura forte, é resistente ao frio e às nevascas da região. Sua personalidade é dita resistente, dócil, confiável, corajosa e alerta.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Hokkaido_(c%C3%A3o)

sábado, 10 de setembro de 2011

Cão Finlandês da Lapônia (Soumenlapinkoira) - 03







Cão Finlandês da Lapônia (Soumenlapinkoira) - 02










Cão Finlandês da Lapônia (Soumenlapinkoira) - 01









Cão finlandês da Lapônia (em finlandês: Soumenlapinkoira) é uma raça cuja origem foi creditada a Finlândia, embora tenha sido reivindicada no século XX por dois países, Suécia e Noruega, o que fez surgir duas variações. De personalidade ativa, é um animal robusto usado anteriormente para pastorear renas, que tem o adestramento considerado de moderado a difícil. Hoje é tido como um bom cão de companhia e de pastoreio de ovelhas e bois. Fisicamente pode atingir os 21 kg, tem a cauda enrolada sobre o dorso e a pelagem dupla.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%A3o_finland%C3%AAs_da_Lap%C3%B4nia

sábado, 3 de setembro de 2011

Cão D´Água Português - 03








Cão D´Água Português - 02








Cão D´Água Português - 01









O Cão d'água português é uma raça de cães criada originária do Algarve, em Portugal. Estes animais foram empregados como cães de trabalho por pescadores desde tempos imemoriais, mas no século XX tornaram-se uma raça rara.

As origens da raça são antigas mas obscuras. Uma provável referência ao cão d'água é um texto de um monge, que em 1297 descreveu um salvamento de um marinheiro por um cão com "o pêlo comprido e preto, tosquiado até à primeira costela, e com um tufo na ponta da cauda", um padrão de tosquia comum nos cães d'água. Uma gravura do início do século XIX, que retrata a chegada do rei de Portugal D. Miguel à praia de Belém, mostra um cão d'água nadando em direção ao barco do rei.

Originalmente o cão d'água - excelente nadador - foi utilizado pelos pescadores portugueses como ajudante nos barcos, guiando cardumes de peixes às redes, recuperando objetos caídos n'água, levando mensagens entre barcos e entre a terra e o mar e outras atividades variadas. O escritor Raul Brandão, em sua obra Os Pescadores (1932), descreve assim a atividade de um barco de pescadores de Olhão: "Tripulavam-no vinte e cinco homens e dois cães, que ganhavam tanto como os homens. Era uma raça de bichos peludos, atentos um a cada bordo a ao lado dos pescadores. Fugia o peixe ao alar da linha, saltava o cão ao mar e ia agarrá-lo ao meio da água, trazendo-o na boca para bordo".

A partir do século XX, com as novas tecnologias da pesca, o trabalho dos cães d'água tornou-se progressivamente obsoleto. O número de animais da raça diminuiu muito e na década de 1930 os poucos exemplares restringiam-se à costa do Algarve. Em 1934, dois cães d'água de Sesimbra participaram pela primeira vez de uma exibição canina, levados pelo criador de cães Federico Pinto Soares. Estes animais chamaram a atenção de Vasco Bensaúde, um rico empresário açoriano que também era criador de cães. Bensaúde adquiriu quatro exemplares para seu canil Algarbiorum e iniciou um cuidadoso programa de seleção. O exemplar mais importante foi um macho chamado Leão, que viria a servir como padrão para a raça. Em paralelo outro canil com cães d'água foi estabelecido em Alvalade (perto de Lisboa) pelo criador António Cabral.

Mais tarde os cães de Bensaúde passariam a ser propriedade de Conchita Cintrón, uma matadora de touros e criadora de cães de origem peruana casada com um empresário português. Conchita vendeu vários animais para o exterior, inclusive para uma criadora dos Estados Unidos, Deyanne Miller, que junto a seu marido Herbert foi fundamental no estabelecimento da raça na América do Norte. Além de exemplares da linhagem de Bensaúde, Miller também adquiriu exemplares da linhagem de Alvalade, para diminuir a consanguinidade. Em 1972, criadores dos EUA fundaram o Clube Americano de Cães de Água Portugueses (Portuguese Water Dog Club of America).

Recentemente, a raça ganhou publicidade inesperada após a família do presidente dos EUA, Barack Obama, escolher um cão de água português como mascote. O cachorro, chamado Bo, foi apresentado ao público a 14 de abril de 2009, em meio a grande interesse da imprensa.

O cão d'água português é uma raça de tamanho mediano, de constituição forte e compacta e musculatura bem desenvolvida. Os machos tem uma altura ideal de 54 cm, enquanto as fêmeas medem cerca de 46 cm. Os pesos variam entre 19 a 25 kg nos machos e 16 e 22 kg nas fêmeas.

Há dois tipos de pelagem: longo e ondulado, com pêlo mais brilhante, e curto e encarapinhado, de pêlo mais opaco. Não possui subpêlo. A pelagem pode ser totalmente negra, branca ou castanha, ou negra ou castanha com manchas brancas. A tosquia típica é feita no focinho e na parte posterior do corpo, deixando uma bola de pêlo na ponta da cauda, o que lhe dá uma aparência de leão.

É considerado um animal excepcionalmente inteligente, com temperamento ativo, ardente mas também obediente. É também muito resistente à fatiga. É um exímio nadador, sendo capaz de mergulhar e nadar debaixo d'água para recuperar objetos perdidos.

No Parque Natural da Ria Formosa, o "Canil da Ria Formosa" procura preservar e dar a conhecer esta raça de cão.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%A3o_de_%C3%A1gua_portugu%C3%AAs

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Cão D´Água Irlandês - 01







O Cão D’água Irlandês, spaniel d’água irlandês ou irish water spaniel é o maior dentre todos os spaniels. Esta raça é relativamente recente, suas origens datam do século XIX na Irlanda. A raça foi criada a partir de cruzamentos selecionados entre cães da raça poodle, setter irlandês e, provavelmente o barbet, alguns ainda sugerem que o Cão d’água português também seria um dos ancestrais do spaniel d’água irlandês. Esta raça alcançou no seu auge de popularidade durante o período entre as duas guerras mundiais quando foi exportado para vários países na Europa e Américas mas atualmente é bastante raro.

Este cão de olfato muito apurado é especialista na caça ao pato e outras aves selvagens, especialmente em regiões alagadiças onde pode exercitar suas habilidades como nadador. É um cão dinâmico, muito disposto e ativo, brincalhão e um bom cão de companhia ser for adequadamente exercitado. É muito dedicado e leal à sua família, desconfiado e arredio com estranhos, não é um bom guarda. Seu dono deverá ser paciente para educá-lo.

O spaniel d’água irlandês é um cão que precisa de bastante espaço e exercício para gastar sua energia ou pode desenvolver problemas de comportamento. Seu pêlo encaracolado é naturalmente repelente à água e deve ser escovado duas vezes por semana. Os donos devem cuidar da higiene de suas orelhas para evitar problemas de otite.
Fonte: http://www.seucachorro.com/spaniel-dagua-irlandes/