PESQUISE NA WEB

Mostrando postagens com marcador Brittany Spaniel. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Brittany Spaniel. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Brittany Spaniel - 05





Brittany Spaniel - 04





Brittany Spaniel - 03







Brittany Spaniel - 02







Brittany Spaniel - 01









O Brittany é um cão de temperamento ativo e alerta. Tem um bom faro e está sempre buscando, explorando e brincando. De natureza independente, ainda assim é de relacionamento dedicado ao dono.

Por ser muito ativo, deve receber atenção e exercícios diariamente, pois pode se tornar destrutivo. Ele é um cão rústico, com pelagem que requer escovação diária.

Também conhecido como Epagneul Breton, esta raça tem suas origens relatadas no século XIX, quando cães do tipo spaniel foram cruzados com Setters Ingleses por caçadores franceses na tentativa de buscar um cão que atendesse suas expectativas de caça.

Alguns exemplares provenientes destes cruzamentos nasciam sem cauda, e seus descendentes continuaram a nascer sem cauda ou com caudas muito curtas. Estes cães eram excelentes farejadores e caçadores de aves.

O primeiro registro data de 1907, na França. A raça chamava-se Brittany Spaniel, mas em 1982 retirou-se a terminação spaniel em reconhecimento ao estilo mais próximo de caçar de um setter que de um spaniel.

O Brittany pode apresentar as seguintes doenças: Displasia coxo-femural
Alteração física de caráter hereditário na articulação entre o fêmur e a bacia do cão, que causa problemas de locomoção, dor e incômodo ao animal. Deve-se tomar cuidado para não confundir a displasia coxo-femural com a miolopatia degenerativa, também caracterizada por dificuldades de locomoção.

Epilepsia
Acredita-se que algumas linhagens tenham apresentado uma maior incidência, caracterizando o fator genético. Pode ocorrer por volta dos três ou quatro anos de idade.

Piodermatites
Infecções bacterianas na pele; podem ser primárias ou secundárias. A primária é provocada pela baixa resistência imunológica, como excesso de banho, que retira a proteção natural da pele, fazendo com que a população de bactérias que habita normalmente a pele. Por exemplo, o Staphyloccocus, que pode crescer desordenamente, causando a infecção. A piodermatite secundária é conseqüência de outra patologia ou agente infeccioso que não seja uma bactéria, como uma sarna, uma doneça hormonal.
Fonte: http://pets1.spaceblog.com.br/427871/Brittany-Spaniel/