PESQUISE NA WEB

sábado, 30 de abril de 2011

Braco Húngaro (Viszla) - 02





Braco Húngaro (Viszla) - 01









Apesar de ser uma raça bastante antiga, sendo considerada parte integrante da história do povo húngaro, o Vizsla só começou a ganhar popularidade no ocidente e Estados Unidos nos anos sessenta, ganhando rapidamente uma excelente reputação como cão de mostra.

Segundo historiadores, os magiares, povo nômade composto basicamente de caçadores e cavaleiros, instalaram-se na região da Hungria em 836 e possuíam cães sabujos e galgos que seriam os ancestrais mais prováveis do atual Braco Húngaro ou Viszla como é conhecido. A pelagem amarelada seria uma herança de outro cão de caça que teria acompanhado os otomanos em 1562 e o Sloughi, galgo árabe utilizado pela aristocracia Magiar como cão de aves e que teria contribuído para a velocidade do Viszla. O termo Viszla só começou a ser empregado para designar os cães da raça a partir do século XVII.

Com a crescente influência germânica na cultura do povo húngaro, o Viszla também foi afetado, sendo que acredita-se que o Braco alemão tenha sido introduzido na raça, agregando as qualidades de polivalência ao já versátil Braco Húngaro. Ainda segundo os historiadores, no final do século XIX, o VIszla, assim como todos os demais cães continentais, receberam contribuições do sangue do Pointer Inglês, que conferiu mais rapidez ao Braco Húngaro mas não interferiu no sistema de farejamento e recuperação da caça já exercida pelo Viszla, que se assemelha mais aos bracos.

Ainda nos anos 30, surgiu, através da infusão do sangue do Braco Alemão de Pelo Duro, o Viszla de Pelo Duro, desenvolvido para atuar em condições mais difíceis em terrenos mais árduos e mais adaptado para busca de caça na água.

Com a segunda guerra mundial, a raça sofreu bastante e o plantel só começou a se reconstiuir nos anos 50, o que explica, em parte, sua chegada tardia aos Estados Unidos. No Brasil, a raça está presente, apesar de contar com um número reduzido de criadores e entusiastas.

O Viszla possui um comportamento estável e brincalhão, sendo um cão ativo e que necessidade de espaço para exercitar-se com regularidade. Na caça desempenha um aponte seguro e é também um excelente recuperador, característica que o faz um cão completo. Apesar do tamanho - é o menor dos bracos - é um cão bastante rápido na batida do terreno e a busca é feita utilizando-se o faro extremamente sensível que herdou de seus ancestrais.

Sua constiuição física e grande resistência, faz com que possam acompanhar seus donos em caminhadas e corridas assim como atuar com desenvoltura em provas de agility.

Sua pelagem curta é densa e grossa, protegendo-o das intempéries do tempo, mas não se trata de um cão que deva dormir ao relento sem abrigo

O Viszla é um cão bastante rústico com poucos problemas de saúde. Algumas linhagens apresentam maior predisposição para apresentar displasia coxo-femural. Por isso é importante adquiri cães cujos criadores realizam o controle de displasia do plantel. Podem apresentar ainda atrofia ou displasia da retina, uma degeneração das células da retina.
Fonte: http://www.caesefilhotes.com.br/cachorro-filhote-braco-hungaro-viszla

Braco Francês Tipo Pirineus - 01











O braco francês tipo pirineus, originalmente chamado braque français, type pyrénées (petite taille), é uma raça conhecida em seu país de origem como a variadade de braco de pernas curtas, para poder caçar em terrenos irregulares da região na qual foi desenvolvido. De temperamento considerado sereno e adestramento fácil, é visto como bom cão de trabalho e companhia, já que aprecia a presença humana assim como seu parente da Gasgonha. Fisicamente, apesar do peso variar igualmente ao do gasgão, suas pernas são cerca de 10 cm menores.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Braco_Franc%C3%AAs_Tipo_Pireneus

Braco Eslovaco de Pelo Duro - 01











O Braco Eslovaco de Pelo Duro é uma raça que foi reconhecida apenas recentemente. Trata-se de uma mistura de três raças, o Braco Alemão de Pelo Áspero, os Weimaraner e o Griffon de Korthal, apresentando muito do temperamento e aparência dessas variações.

Trata-se de um animal de médio porte com pelagem rústica e com um característico “bigode” caído nas extremidades da boca. É um caçador versátil, capaz de farejar a presa, apontar e recuperar a caça mesmo na água.

Raça originária da Eslováquia, de porte médio, com pelo de até 4cm e subpelo curto e fino, e suas cores variam de tons de cinza, se aproximando do marrom e do tom areia. É um cão resistente, flexível e esperto, comumente usado na caça.
Fonte: http://petmag.uol.com.br/caes/racas/braco-eslovaco-de-pelo-duro/

Braco Dinamarquês - 01









O Braco Dinamarquês é uma raça média de cão branco com manchas marrons, originalmente usado como cão de apontar na Dinamarca. Cujo nome (em dinamarquês: Gammel Dansk Hønsehund) significa "cão antigo dinamarquês de galinha".

O Braco Dinamarquês é um animal forte e de médio porte. Uma das características mais notáveis da raça é a diferença entre os gêneros. Enquanto os machos são pesados e musculosos, as fêmeas tendem a ser mais leves e de temperamento caprichoso. Pode atingir entre 54 e 60 cm entre os machos, e 50 a 56 cm nas fêmeas. Ele se comporta de forma estável e controlada durante as caçadas, progredindo lentamente em direção à presa enquanto mantém contato com o caçador. Os machos pesam dentre 30 e 35 kg e as fêmeas dentre 26 e 31 kg.

Transmite a impressão de um cão tranquilo e estável, mostrando determinação e coragem. Durante a caçada, o cachorro avança muito lentamente, sempre mantendo contato com o caçador e cumprimento de sua tarefa como um cão apontador sem criar perturbação desnecessária do solo. A raça é adequada para pequenas, bem como terrenos de caça grande.

Este é um cão familiar, enquanto ele recebe o seu exercício. É rápido e ativos no exterior e calma dentro de casa, mas não é adequado para apartamentos ou pequenos estaleiros.

A origem da raça pode ser rastreada até cerca do ano 1710, quando um homem chamado Morten Bak, que vivem em Glenstrup perto das cidades de Randers e Hobro, cruzou cães ciganos a 8 gerações com cães fazendeiros local e, desta forma estabelecida uma raça pura cães malhado branco e marrom chamado Bakhounds ou velho braco dinamarquês. Os agricultores locais chamados Bloodhounds seus cães fazendeiros, mas parece mais provável que estes cães eram filhos de sabujos do latifundiário, que por sua vez, eram descendentes principalmente de Cão de Santo Humberto. Da mesma forma, é provável que os cães geralmente descendentes de cães apontadores ciganos espanhóis e outras raças de cães de faro, assim, em muitos aspectos dos Cães de Santo Humberto terem contribuído para o braco dinamarquês. A raça sofreu uma grande queda de popularidade após a Segunda Guerra Mundial e esteve muito perto da extinção. Devido à persistência de alguns criadores, ela foi revitalizada e hoje é a terceira espécie mais difundida na Dinamarca.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Braco_Dinamarqu%C3%AAs

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Braco de Weimar (Weimaraner) - 03







Braco de Weimar (Weimaraner) - 02







Braco de Weimar (Weimaraner) - 01













Weimaraner ou Braco de Weimar (também conhecido por Fantasma Prateado) é um cão de alguns séculos, pois já aparece numa pintura de Van Dyck do século XVII. Sua origem é contraditória, mas seu país de origem é considerado a Alemanha.

Fisicamente, é um cão de porte médio-pesado e formas bonitas. Com altura de 59 a 70 centímetros, cabeça larga, nariz rosado escuro, focinho longo e forte, stop mínimo, orelhas largas e compridas, olhos de cor âmbar, cauda cortada em 4 cm nos países que permitem essa prática. Seus membros são longos e musculosos, o pêlo é fino e pode ser curto ou longo, nas cores cinza prateado (o mais comum), cinza-cervo ou cinza-rato. O corpo é musculoso, balanceado e gracioso, com movimentos rápidos e leves. A cabeça possui crânio largo, com focinho quadrado, olhos afastados e orelhas longas, largas, arredondadas e caídas. A cauda é cortada. Os membros são retos e fortes, porém não são largos.

Seu temperamento é vivo, sincero, afetuoso e alegre. É um cão que pode ser utilizado em todo tipo de caça. Este cão é extremamente fiel, se bem treinado, gosta muito de correr e brincar, não é agressivo, e é meigo com as crianças. Ele tem uma paciência incrível com todos da casa. É um cão que não tolera ficar muito tempo no canil. Alguns weimaraner latem muito e escalam cercas. São ótimos caçadores. Muito dócil, mas sabe proteger o dono e seu ambiente, quando necessário. É também desportivo e versátil, pois tem boa resistência física. Curioso, é dotado de uma habilidade única para imitar os movimentos humanos como, por exemplo, abrir trincos e maçanetas para fugir de casa.

A sua origem é a Alemanha. É uma raça muito antiga e não se sabe precisar exatamente quando surgiu. Há pinturas de 1600 retratando cães da raça.

São quatro as versões aceitáveis para a origem do Weimaraner. A primeira diz que a raça surgiu a partir do cruzamento do Saint Hubert, alguns Hounds Franceses, do Pointer Pêlo Curto, do Pointer Espanhol, do Bloodhound e do German Schweisshunds. Outra versão considera que a raça foi criada a partir de Hounds Alemães. Uma terceira versão afirma que são resultantes de alguma variação do Pointer Alemão Albino. A última versão, e a mais aceita, é que estes cães foram criados pelo Grão Duque Karl August de Weimar, na Alemanha, através do cruzamento de um determinado Pointer Amarelo e de um Pointer Comum. Sabe-se que eram muito apreciados no século XIX, na corte de Weimar. O Weimaraner foi introduzido nos Estados Unidos nos anos 1940 e é conhecido lá como Grey Ghost ou Fantasma Cinza.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Weimaraner

Braco de Saint Germain - 01







O braco de Saint-Germain, originalmente chamado braque Saint-Germain, é uma raça mais leve que os parentes do Sul e adquiriu o padrão dos pointers da mesma época dos tempos do rei Luís XV graças a cruzamentos seletivos que a retiraram do risco de extinção no qual caíram após a Revolução Francesa. Originalmente trabalhadores, tem a sua maioria vivendo como cães de estimação. De personalidade dita alegre e cautelosa, tem seu adestramento classificado como fácil e seu comportamento considerado confiável inclusive com crianças.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Braco_de_Saint-Germain

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Braco de Bourbon - 01











O Braco de Bourbon descende de raças nativas de hounds e/ou, de cães de aponte da região central da França.Uma xilogravura feita por Aldovrandi em 1580 mostra esse cão anuro (sem cauda) caçando aves.

Há tempos atrás, filhotes anuros ocasionalmente nasciam em ninhadas de Bracos Franceses. Deste fato concluí-se que uma ligação entre as duas raças é muito provável.

Apesar de suas habilidades e de seu bom caráter, o Bourbonnais nunca alcançou muito reconhecimento fora de sua terra natal. Recentemente, com os esforços de M. Comte, do Clube Francês da Raça, alguns exemplares foram introduzidos nos Estados Unidos, onde principiou a criação.

O Braco de Bourbon é um grande caçador de faisões, perdizes e pode também, se devidamente treinado, caçar pequenos animais como a lebre. Os caçadores franceses admiram e utilizam muito esses cães em reservas de caça com tiro, e dizem que a raça já nasce treinada.

Emocionalmente, ele é o mais equilibrado e de melhor gênio entre os bracos da França. O Braco de Bourbon é descrito pelos criadores como um cão sereno, doce e afetivo. Ele é uma boa companhia, de fácil aprendizado, controlado e convive bem com
toda a família, incluindo as crianças e outros cães.

A pelagem curta, densa e grossa, é descrita pelos franceses como "lie de vin", ou seja, borra de vinho ou ainda como vestido como uma fruta. A cor é branco, com um salpicado indefinido por todo o corpo nas cores fígado ou castanho ou laranja. Quanto menos manchas sólidas tiver, melhor.

Na aparência geral o Braco de Bourbon é um cão de porte médio, robusto, com corpo cilíndrico, tórax amplo, membros fortes, pés de gato, com crânio longo, stop bem definido, focinho igualmente longo, orelhas finas de comprimento médio e com alguma
dobra. Uma característica marcante é a ausência de cauda ou uma cauda que na idade adulta atinja no máximo 1,5 cm.
Fonte: http://www.solbrilhando.com.br/_Animais/Caes/Racas/Caes_pelo_Mundo/Europa/Franca/Braco_de_Bourbon.htm

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Braco de Auvergne - 01








Braco de Auvergne, Braque d'Auvergne, raça originária na região montanhosa de Cantal no centro da França, utilizado para caça e companhia.

Tem porte médio, sua pelagem é curta, densa e dura. Suas cores podem ser de corpo branco com manchas escuras e cabeça em tons de marrom ou preto, e seu temperamento é astuto e ativo.

É um animal versátil muito usado na caça de aves, que descende de diversas outras raças de exemplares caçadores. Cão encorpado e forte, atingindo entre 53 e 63 centímetros até as costas. A sua cabeça é grande, possui longas orelhas e bochechas caídas. Como todo cachorro especializado na caça, é muito ativo e curioso, além de ser também muito fiel ao dono.
Fonte: http://petmag.uol.com.br/caes/racas/braco-de-auvergne/

sábado, 16 de abril de 2011

Braco de Ariège - 01






O Braco de Ariège é uma raça de cão de caça e aponte originária da França. A raça é mantida principalmente como um cão de caça, não simplesmente um cão. Um cão normalmente proporcionado, com orelhas caídas, cauda tradicionalmente ancorada, pelo curto e de cor branca, com manchas grandes de cores descritas como alaranjada, fígado ou castanho na cabeça e nas orelhas. O tamanho é de cerca de 60-67 centímetros de altura. Os cães da raça devem aparecer poderosos, mas não com peso excessivo, robusto e forte.

Essa raça era usada por caçadores na região Ariège dos Pirinéus e foi dita ser descendente de cães que eram cruzamentos de Perdigueiro de Burgos e do Braco Italiano. A raça foi desenvolvida no século XX por Braco Saint-Germain e Braco Francês com os cães locais, para dar-lhes mais leveza e atividade. Durante a II Guerra Mundial quase desapareceu.

Em 1990 uma equipa de criadores decidiu dedicar-se à sobrevivência dos Braque de l'Ariège. Em particular, temos o Sr. Alain Deteix de agradecer a sobrevivência da raça. Ele chefiou a equipe de criadores de todo o coração ands dedicou-se ao renascimento de parte do património nacional da França. O Braque de l'Ariège está bem adaptado para caça selvagem de lebre e perdiz. A raça é robusta e muito enérgica, com um excelente sentido do olfato, e é um retriever qualificado e adequado para todos os tipos de caça. Também é muito independente para as necessidades de formação e actividade regular. Ele também precisa de escovação regular. http://pt.wikipedia.org/wiki/Braco_de_Ariege