PESQUISE NA WEB

Mostrando postagens com marcador Flat Coated Retriever. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Flat Coated Retriever. Mostrar todas as postagens

sábado, 3 de maio de 2014

Flat Coated Retriever - 07




Flat Coated Retriever - 07





Flat Coated Retriever - 06





Flat Coated Retriever - 05





Flat Coated Retriever - 04





Flat Coated Retriever - 03





Flat Coated Retriever - 02





Flat Coated Retriever - 01




 
O Retriever de pêlo liso pertence à família dos Retrievers, dentro da qual existem mais cinco variedades: o Labrador Retriever, Golden Retriever, Toller Retriever, o Retriever de pêlo encaracolado (ou Curly-Coated Retriever) e o Chesapeake Bay Retriever. Inicialmente, estes cães foram criados e treinados para auxiliar o homem na caça de aves selvagens, cabendo-lhes a tarefa de trazer as aves abatidas ao seu dono. Alguns autores consideram que a sua história é confusa precisamente porque esta atividade - também designada por retriever - foi desenvolvida por outros cães que adquiriram erradamente o mesmo nome. Crê-se, no entanto, que a raça foi desenvolvida na Inglaterra, por volta do século XIX, e que na sua evolução foram cruzados o Labrador Retriever, o Newfoundland e alguns Spaniels. Inicialmente, surgiu assim o Retriever de pêlo ondulado que é o antecessor do Retriever de pêlo liso.
 
No final do século XIX, o Retriever de pêlo ondulado foi cruzado com uma Collie, o que permitiu que fosse obtida uma nova variedade de Retriever, com uma pelagem mais atraente. O sucesso deste feito, fez com o Retriever de pêlo liso se tornasse no cão mais popular da Grã-Bretanha, posição que manteve até depois da II Guerra Mundial. Isso foi permitido pelo envolvimento de vários criadores e cinófilos que apostaram no melhoramento dos padrões desta estirpe, tais como S.E.Shirley (fundadora do Kennel Club) e H.R.Cooke, considerado, aliás, o patrono da raça. Este último apostou na sua criação durante mais de 60 anos, em Riverside. Em 1911, foi estabelecido o preto como a cor mais desejável da pelagem desta raça. No entanto, os cruzamentos efectuados com os Collies, originaram crias com marcas brancas.
 
Em 1915, o Retriever de pêlo liso foi reconhecido pelo Kennel Clube Americano, mas foi precisamente nesta altura que a sua popularidade de começou a decair, em detrimento do Labrador e Golden Retriever, que passaram a ser cobiçados um pouco por todo o lado. Em 1959, o Retriever de pêlo ondulado e o Retriever de pêlo encaracolado participaram pela primeira vez numa exposição de canídeos, na Grã-Bretanha mas, só no ano seguinte, é que ambas as raças são consideradas distintas.
 
Após a II Guerra Mundial, um admirador e criador da raça, Stanley O’Neill, empenhou-se na sua recuperação que lentamente foi contando com mais registos no Kennel Club americano. O tamanho deste cão varia, nos machos, entre os 58 e os 61 cm e, nas fêmeas, entre os 56 e os 59 cm. O seu peso oscila entre os 25 e os 35 Kg. A sua pelagem é densa, de textura média e lisa, e deve ser preto ou fígado uniforme. A cabeça é longa e bem modelada e o chanfro é acentuado, mas suave entre os olhos. Estes últimos, são de tamanho médio e cor castanha. As orelhas são pequenas, bem inseridas e pendentes junto às faces. O pescoço é razoavelmente longo e o peito é profundo e ligeiramente largo. Dotado com membros musculosos e patas fortes, o corpo deste cão pode-se afirmar elegante e robusto. A cauda curta é extremamente expressiva da alegria que sente. Este cão é um óptimo cão de companhia e de tiro.
 
Em casa, revela-se uma parceiro devoto à família, atento a tudo e muito amigo das crianças. É um animal dócil e muito sociável, se for bem integrado desde pequeno. Se lhe for concedida a devida atenção, poderá desenvolver todas as qualidades de um animal de estimação. Talhado para ser cão de tiro, fora de casa ele é extremamente energético. Adora brincar e aceita participar em todo o tipo de jogos e actividades com o seu dono. Tal requer algum envolvimento por parte do seu dono, mas só assim será realmente feliz. É um animal inteligente e obediente, pelo que o treino acaba por ser uma tarefa fácil.
 
Esta raça, com uma esperança média de vida de 10 anos, regista a ocorrência de algumas doenças que são particularmente graves. São exemplo disso a displasia da anca, o cancro (com maior incidência por volta dos 4 anos), a luxação da rótula, epilepsia e a diabetes. A escovagem deve ser diária, por forma a manter o seu pêlo luzidio. Deve-se observar com alguma frequência o estado dos dentes, olhos e orelhas. Estes são cães altamente energéticos, pelo que a prática de exercício deve ser diária e intensa.